ONLINE
1





Partilhe este Site...

 

 

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/dicas.JPG

 

 

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/orientapaisbanercoluna.JPG

 

 

 http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/saudebucalnagestacaobotao.JPG    

 

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/ronco.JPG

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/bannerhalitose.JPG

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/endo.JPG

  

 

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/bannerbruxismo.JPG

 

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/doen_as.JPG

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/bannerfotos.JPG 

http://images.comunidades.net/cli/clinicaciso/banner_fale_conosco.png


Enxaguatórios bucais: Ajudam ou prejudicam?
Enxaguatórios bucais: Ajudam ou prejudicam?

 

De acordo com os especialistas, o uso indiscriminado de enxaguatórios bucais provoca de irritações na boca até manchas nos dentes e a perda temporária da gustação. Dependendo da fórmula, alguns só podem ser usados com indicação médica. Escolher um enxaguatório bucal não é uma tarefa fácil, pois existem nas prateleiras das farmácias dezenas de embalagens coloridas que disputam a atenção do consumidor.

 

A promessa é quase sempre a mesma: combater efetivamente a formação da placa bacteriana, a principal responsável pelas doenças bucais como a cárie e gengivite. Na prática, a maior parte das pessoas compra o produto sem saber se é o tipo certo para o seu caso e desconhecendo os riscos do uso indiscriminado dos enxaguatórios bucais.

Para começar, nem todos os produtos apresentam a mesma formulação. Os enxaguatórios bucais costumam ser divididos principalmente em quatro tipos:

  • A base de gluconato de clorexidina (como o Periogard, da Colgate; Perio Therapy da Bitufo);
  • Óleos essenciais (eucaliptol, mentol e salicilato de metila, caso do Listerine);
  • Flúor (encontrado em vários deles);
  • Cloreto de cetilpiridínio (como o Cepacol, Oral-B);

http://clinicaciso.no.comunidades.net/imagens/alertagil.gifDe acordo com os pesquisadores, há evidências suficientes para aceitar a idéia de que enxaguatórios bucais com álcool contribuem para aumentar a taxa de câncer oral. O álcool presente nos enxaguantes contribui para o aumento das taxas de câncer oral de forma similar às bebidas alcoólicas --e sabe-se que o álcool é o segundo fator de risco para a doença, depois do tabagismo, aumentando de cinco a nove vezes os riscos.Grande parte dos produtos comercializados no Brasil contém álcool!

Indicações

 

Dentistas recomendam o uso de enxaguatórios após cirurgias, raspagem de dente, casos de alta incidência de cárie, doenças da gengiva e para pessoas que não têm coordenação motora para realizar uma boa escovação.

É importante frisar que os enxaguatórios são produtos coadjuvantes no combate à placa bacteriana. Eles não substituem o uso da escova de dente e nem o fio dental, pois a melhor forma de combater a placa ainda é a escovação correta e o uso do fio dental.

topo